Por que e como começar a meditar?

0
452

A meditação é uma prática milenar de autocuidado que trabalha a saúde mental, emocional e física. Por meio dela, é possível acessar com mais facilidade nossos pensamentos e sentimentos, cultivando emoções positivas, como a gratidão, alegria e compaixão consigo mesmo e com o próximo. O resultado desse hábito é um estilo de vida mais saudável, equilibrado e duradouro. 

Um artigo publicado no periódico Jama Psychiatry, dos pesquisadores do Centro Médico da Universidade de Georgetown, nos Estados Unidos, revelou que a meditação pode ser benéfica no tratamento dos transtornos de ansiedade em mindfulness (concentração integral no momento presente). 

“Uma mente mais calma se torna mais objetiva, e é capaz de tomar melhores decisões pois não age por impulso.”, afirma Juliana Romero, Head do Vidya e professora de yoga. 

Existem diversos mitos que cercam a prática e desestimulam as pessoas a sequer experimentá-la. Os dois mais comuns são: 

  • Meditação é a ausência de pensamentos: essa crença é completamente equivocada e o objetivo da prática não é esse. É praticamente impossível não pensar, afinal, esse é o estado natural da mente. O que deve ser buscado é a diminuição do fluxo de pensamentos, atenção plena e presença.

  • Uma mente agitada não consegue meditar: pelo contrário, quanto maior a carga mental, mais o praticante pode se beneficiar da meditação. Inclusive, muitos deixam de experimentar a prática por essa crença de que não conseguiriam. Ao perceber seu foco esvaindo, basta tomar consciência disso e retomar sua atenção para o ponto desejado, como a respiração, por exemplo. Tudo é questão de prática e constância.

“Todo mundo, independentemente de uma mente mais ou menos agitada, é capaz de encontrar uma forma de relaxar na meditação”, segundo Juliana Romera.

Respire fundo, aconchegue-se em um ambiente tranquilo e prepare-se para mergulhar em si mesmo. Namastê!  

Como começar?

Há inúmeras formas de realizar a prática: sentando no chão sobre uma almofada ou em uma cadeira, caminhando (meditação ativa) e até deitado. O importante é estar atento aos sinais do seu corpo, consciente de sua respiração e, é claro, determinado a silenciar os julgamentos e comparações paralelas. A meditação é uma prática introspectiva e individual.

“Não existe o certo e o errado. Existe o que é adequado para você.”, afirma Juliana Romero, Head do Vidya e professora de yoga. 

Embora estejamos envoltos na agitação da rotina, é possível entrar em um estado meditativo através do estímulos de alguns sons,  pela meditação guiada, ou também pela respiração e a concentração. Assim como a postura, recomenda-se experimentar o que mais te traz conforto e facilita sua prática.

Juliana também sugere reservar 5 minutinhos do seu dia para simplesmente observar a sua respiração. Aos poucos, você pode ir aumentando esse tempo dentro das suas possibilidades. 

“Você vai perceber que o que parecia impossível é, na verdade, delicioso.”

Se você precisar de ajuda neste começo, experimente nossa meditação guiada disponível no YouTube. 

Além disso, vale ressaltar que yoga e meditação são duas práticas que se complementam e, no Vidya, studio exclusivo Bio Ritmo, você encontra aulas que proporcionam maior conexão entre corpo e mente. Saiba mais.

Acompanhe também nossos conteúdos no Instagram e fique por dentro de tudo sobre saúde e bem-estar.